quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Mikkel Hansen " O Messi do handebol"

Alto, loiro e talentoso. Aos 27 anos, o dinamarquês Mikkel Hansen é uma das estrelas do handebol mundial. Em quadra, é veloz e tem passe refinado, mas também sabe usar seu porte físico (1,96m e 98kg) para enfrentar as defesas rivais. No Mundial do Catar, Hansen vem fazendo jus ao status de principal estrela do esporte na Dinamarca. Com boas atuações, é considerado há tempos o "Messi do handebol", e ajudou sua equipe a avançar para as quartas de final. Na próxima fase, nesta quarta-feira, às 16h (de Brasília), terá a chance de se vingar da Espanha, algoz na final em 2013, na casa dos rivais.
Perguntado sobre o apelido de Messi do handebol, surgido pela habilidade que desfila nas quadras, o dinamarquês preferiu sair pela tangente e devolveu a pergunta.
- Eu não vou me comparar com nenhum jogador de futebol. Eu sou eu. Eu acho que você tem de falar com as outras pessoas para que elas me descrevam - respondeu Mikkel Hansen.
handebol mikkel hansen dinamarca mundial (Foto: EFE)Camisa 24 e faixa na cabeça: inspirações de Hansen vêm de LeBron James e Kobe Bryant (Foto: EFE)

CONTRATO MILIONÁRIO NO PSG
O armador esquerdo, eleito o melhor do mundo em 2011, também faz sucesso fora da seleção. Contratado pelo francês PSG em 2012, fez o acordo de sua vida. De acordo com a imprensa dinamarquesa, ele recebe cerca de 2 milhões de euros anuais, o que daria R$ 6 milhões/ano ou R$ 500 mil por mês, salário na casa dos principais jogadores em ação no futebol brasileiro. Além disso, arrisca-se como modelo em campanhas internacionais e tem seis patrocinadores pessoais, sendo que duas são empresas multinacionais.
 O que me fascina é o modo como pessoas tão altas podem se movimentar, o show, e como os grandes jogadores aparecem no final e mostram sua classe. De certa forma, dá para se espelhar na autoconfiança deles e dar ao time aquele gás extra para vencer - disse Hansen em entrevista ao tabloide dinamarquês "BT".Hansen é apaixonado por basquete desde 2008. Naquela época, ele atuava pelo Barcelona e passou a admirar o esporte vendo a equipe catalã da modalidade jogar. O interesse cresceu e o encanto foi maior ainda com os astros da NBA,  quando se impressionou ao ver como atletas tão grandes poderiam se movimentar tão rapidamente. Hansen, por exemplo, comprou os ingressos para acompanhar a final olímpica de Londres 2012, com o time dos Estados Unidos em ação. Ele inclusive joga com a camisa 24 em alusão ao número de Kobe Bryant, do Los Angeles Lakers, um de seus ídolos, e também exibe uma faixa na cabeça ao estilo LeBron James, do Cleveland Cavaliers.
Ídolo de um país - Hansen tem status de estrela internacional (Foto: Editoria de Arte)(Foto: Editoria de Arte)

HANDEBOL VEM DE BERÇO
O handebol corre nas veias da família Hansen. Seu pai, Flemming Hansen, foi jogador da seleção da Dinamarca no passado e anotou 240 gols em 120 partidas pela seleção nacional. Além disso, participou dos Jogos Olímpicos de 1984, em Los Angeles, nos Estados Unidos. 

Em um país que respira a modalidade, Mikkel começou cedo, no Virum-Sorgenfri UK. Em 2005, aos 18 anos, foi para o Svendborg, onde ficou até 2008, quando o gigante Barcelona o levou para a Espanha. Entre 2010 e 2012 ele esteve de volta ao país, no Kobenhavn, mas foi seduzido por cifras milionárias para acertar a proposta do Paris Saint-Germain, da França, onde está desde 2012.
Mikkel Hansen no PSG (Foto: Getty)Mikkel Hansen é uma das estrelas do francês PSG (Foto: Getty)


Pela seleção da Dinamarca, Hansen tem 103 jogos e 486 gols. No currículo tem duas pratas nos dois últimos mundiais (2011 e 2013), um ouro no campeonato europeu de 2012, e uma prata no europeu disputado na Dinamarca no ano passado. Falta uma medalha olímpica, que Hansen espera conquistar no Rio de Janeiro, em 2016. O Mundial do Catar classifica o campeão para os Jogos Olímpicos.
- Espero estar lá e experimentar de tudo no Brasil, e certamente é importante ganhar a medalha de ouro. Mas primeiro temos que nos classificar, obviamente. Então eu não fico pensando muito no futuro. Temos um adversário muito criativo na próxima partida aqui (no Mundial do Catar) - comentou Hansen à reportagem do GloboEsporte.com, depois da vitória da Dinamarca, por 30 a 25, sobre a Islândia, nas oitavas de final do Mundial do Catar.
 Mikkel Hansen - Olimpíadas de Londres 2012 - Dinamarca (Foto: Getty Images)Mikkel Hansen foi eleito o melhor jogador do mundo do ano de 2011 (Foto: Getty Images)

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O sonho Acabou! Brasil Perdi para Croácia e dá adeus a Mundial

O Brasil tinha a meta de alcançar as quartas de final no Mundial do Catar ou pelo menos melhorar a 13ª colocação da edição de 2013, na Espanha. Não conseguiu. Parou pela segunda vez consecutiva nas oitavas de final, e novamente por apenas um gol. Do começo ruim contra o Catar até a derrota para a Croácia, no último domingo, a seleção brasileira demonstrou uma melhora considerável de jogo, tanto que o próprio técnico Jordi Ribera avaliou positivamente o desempenho do time, um dos mais jovens da competição, apesar da 16ª colocação geral neste Mundial entre os classificados para as oitavas. Entre erros e acertos, a equipe ganhou cada vez mais confiança e deu mostras de que tem condições de superar as grandes potências do handebol internacional. 
O próximo grande compromisso da seleção brasileira será nos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015, em julho. E, em 2016, as Olimpíadas do Rio de Janeiro. A Confederação Brasileira de Handebol ainda busca realizar em junho a segunda edição do Torneio Quatro Nações, disputado pela primeira vez em novembro do ano passado. O Brasil ficou com o título de forma invicta no campeonato, que contou com a participação de Egito, Argentina e Argélia.- No Mundial da Espanha, tivemos uma melhor classificação. Ok. Mas quando jogamos contra a Alemanha, não teve jogo. Jogamos contra a França, não teve jogo, foi aberto (o placar) com muita facilidade. Aqui não teve um jogo elástico. Jogamos com a Espanha e estávamos dentro do jogo. Jogamos com a Eslovênia, que foi quarto (em 2013), e teve jogo. Jogamos agora com a Croácia, que foi terceiro (em 2013), e ficamos no jogo. Se você olha a evolução, ela existe. Se olhamos a posição, então não cumprimos o objetivo. Mas também é preciso lembrar que por duas edições consecutivas a equipe esteve nas oitavas de final. Nós só não estamos nas quartas de final por detalhes - afirmou Jordi.
PONTO FRACO
Das derrotas que o Brasil teve na primeira fase, ao menos duas poderiam ter sido evitadas se a equipe tivesse conseguido um aproveitamento melhor nas finalizações. Nos dois primeiros jogos pelo Grupo A, contra Catar e Espanha, o aproveitamento foi de menos de 50% (49% e 48% respectivamente). Em toda a primeira fase, o jogo mais crítico foi contra a Eslovênia, quando além dos erros nos arremessos e na afobação nos ataques, a defesa brasileira foi muito mal, evitando que só oito finalizações dos eslovenos se transformassem em gol.
Brasil x Eslovênia handebol (Foto: Thierry Gozzer)Jogo contra a Eslovênia foi o que as finalizações erradas deram mais prejuízo à seleção brasileira (Foto: Thierry Gozzer)
REVELAÇÃO
O Brasil tinha uma das menores médias de idade do Mundial do Catar: 26,1 anos. Menos do que isso só Arábia Saudita (24,4), e Chile e Irã (25,4). Dentre a garotada, formada por nomes como Zé, Teixeira, Valadão e Patrianova, quem mais se destacou na seleção brasileira foi João. O central de 20 anos chegou a ser eleito o melhor jogador da partida na vitória sobre o Chile na primeira fase. Na derrota para a Croácia, foi o artilheiro da equipe, com cinco gols.
- Não foi o resultado que a gente queria, mas agora é levantar a cabeça para os próximos Mundiais - disse João, após a eliminação do Brasil.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Brasil quer vitoria sobre Eslovênia para garantir classificação


A seleção brasileira de handebol volta à quadra nesta quarta-feira pelo Mundial de Handebol masculino, para enfrentar a Eslovênia. A partida será transmitida pelo SporTV a partir das 12h. O técnico Jordi Ribeira pediu atenção com a velocidade da equipe eslovena. 

- A Eslovênia é um time que tem um jogo baseado na rapidez, faz transições muito rápidas, então é importante o retorno defensivo, porque muitos dos gols que eles marcam saem em ataques muito rápidos - analisa o treinador Jordi Ribeira. 
Nesta terça-feira, um dia após derrotar Belarus por 34 a 29, os jogadores fizeram apenas um trabalho regenerativo no hotel e à tarde para passear no mercado municipal de Doha. O resultado foi importante para o Brasil manter vivas as chances de classificação para as oitavas de final. Depois da Eslovênia, a seleção brasileira fecha a primeira fase contra o lanterna do Grupo A, o Chile. O Brasil está na quarta colocação, a última que garante a passagem para a próxima fase. 

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Brasil Vence a Primeira e Está Vivo No Mundial Masculino

Jogadores Brasileiros comemoram primeira vitoria no mundial do Catar
Tudo funcionou para o Brasil nesta segunda-feira (19) diante da Bielorrússia na terceira rodada do Campeonato Mundial Masculino de Handebol. De volta ao gigantesco Lusail Murltipurpose Hall, em Doha, no Qatar, o time verde e amarelo praticamente impôs o ritmo da partida e, com uma defesa segura e eficiente, neutralizou os rivais europeus para garantir os primeiros dois pontos na competição, extremamente importantes para a meta da equipe de passar à próxima fase. O placar terminou 34 a 29 (16 a 12 no primeiro tempo), com nove do ponta esquerda Felipe Borges, também escolhido como o melhor em quadra. 

Era uma partida de vida ou morte. E, foi com esse espírito que os brasileiros entraram nas quatro linhas, vestindo a tradicional camisa amarela, a número um. Depois de 'bater na trave' diante do Qatar e da atual campeã Espanha, uma vitória contra a Bielorrússia, que também não havia vencido nenhum jogo até agora, era a salvação. 

Ainda pelo grupo A, nesta segunda-feira, a Espanha derrotou o Chile, por 37 a 16, e o Qatar fez uma partida duríssima, mas passou pela Eslovênia, com o placar de 31 a 29. O Brasil encara a Eslovênia pela quarta rodada, na próxima quarta-feira (21). 

Gols do Brasil: Borges (9), Chiuffa (7), Thiagus (6), Japa (4), Valadão (3), Tchê (2), Teixeira (1), João Pedro (1) e Lucas (1). Gols da Bielorrússia: S. Rutenka (6), D. Rutenka (6), Nikulenkau (6), Kniazeu (3), Babishev (2), Astrashapkin (2), Pukhouski (2), Kamyshyk (1) e Shumak (1). 

Confira os jogos do Brasil 
*Horário de Brasília

Quinta-feira (15)
Qatar 28 x 23 Brasil 

Sábado (17)
Brasil 27 x 29 Espanha

Segunda-feira (19)
Bielorrússia 29 x 34 Brasil 

Quarta-feira (21)
12h - Eslovênia x Brasil

Sexta-feira (23)
12h - Brasil x Chile

domingo, 18 de janeiro de 2015

Brasil tem jogo de vida ou morte no mundial masculino do Catar

Na primeira fase, as 24 seleções são divididas em quatro grupos de seis times cada. Após o fim das cinco rodadas, os quatro primeiros avançam para as oitavas de final. O primeiro colocado de um grupo enfrenta o quarto do outro, e o segundo encara o terceiro de outro grupo. Os times eliminados na primeira fase disputam a President's Cup, competição da Federação Internacional para definir da 17ª colocação para trás. O Mundial do Catar dá ao campeão a vaga nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. O Brasil, anfitrião dos Jogos, já está garantido.
TABELA DO BRASIL NA PRIMEIRA FASE
15 de janeiro - 15h30* - Catar28 x 23 Brasil - Lusail Hall
17 de janeiro - 12h* - Brasil 27 x 29Espanha - Duhail Sports Hall
19 de janeiro - 12h* - Brasil x Belarus - Lusail Hall
21 de janeiro - 12h* - Brasil x Eslovênia - Duhail Sports Hall
23 de janeiro - 12h* - Brasil x Chile - Lusail Hall

Obs: * horário de Brasília
CLASSIFICAÇÃO DO GRUPO A
classificação grupo A mundial de handebol (Foto: Fonte: IHF)

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Sob a sombra do sucesso feminino, Brasil abre Mundial contra anfitriões

Brigar pelo título não está no discurso. Chegar ao pódio ainda é um sonho. Mas é possível dizer que a seleção brasileira que estreia no Mundial de handebol masculino, em Doha, no Catar, nesta quinta-feira, tem objetivos muito claros e desafios gigantes. O primeiro rival, às 15h30 (de Brasília), no Lusail Hall, será justamente o Catar, seleção dona da casa, recheada de jogadores naturalizados. Dentro de quadra, o desejo brasileiro é superar a campanha de 2013, conseguida na Espanha, quando o Brasil caiu nas oitavas de final para a Rússia por apenas um gol. 
Além disso, jogadores e comissão técnica querem provar para eles mesmos que é possível buscar degraus maiores, saindo da sombra da seleção feminina, que desde 2011 acumula bons resultados internacionais e em 2013 conquistou pela primeira vez o título mundial, jogando pressão para cima do time masculino. O SporTV transmite ao vivo a estreia do Brasil, o GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real direto do Lusail Hall, que tem capacidade para 15.300 torcedores, e o assinante do Canal Campeão também pode acompanhar pelo SporTV Play.
Vinícius chega ao seu terceiro mundial pela seleção brasileira (Foto: Wander Roberto/Photo&Grafia)
Vinícius chega ao seu terceiro mundial pela seleção brasileira (Foto: Wander Roberto/Photo&Grafia)

- Mudou muita coisa no nosso handebol. Crescemos muito no total no Brasil, e o masculino também. Tivemos nossa melhor classificação no Mundial passado (em 2013, na Espanha) e queremos uma classificação melhor para o Brasil. Antigamente íamos para um Mundial e não tinha mídia. Agora tem mídia aqui. O título feminino trouxe visibilidade para a nossa modalidade. Traz coisas boas, mas a pressão aumenta. Todo mundo que conversa, no Facebook, nas redes sociais, e perguntam sobre o título, se é possível como o time feminino fez. A gente tenta explicar, fala que o caminho é longo, mas não tem nada impossível. Elas demoraram muito para passar das quartas de final, e quando passaram, tudo aconteceu de uma vez só. Então, brincamos entre nós que se chegarmos nas quartas de final, tudo é imprevisível e possível, por que não - explica o capitão Zeba.
Zeba é o capitão da seleção brasileira de handebol (Foto: Wander Roberto/Photo&Grafia)Zeba é o capitão da seleção brasileira de handebol (Foto: Wander Roberto/Photo&Grafia)
A seleção está no Grupo A do Mundial, ao lado do Catar, Espanha, Belarus, Eslovênia e Chile. O time comandado pelo técnico espanhol Jordi Ribera chega mais experiente e calejada. O próprio Zeba está no seu quinto Mundial. O pivô Vinícius, do Taubaté, no seu terceiro. E vários jogadores, como Thiagus, Patrianova, Bombom, Chiuffa, Tchê, Felipe Borges, Valadão, João Pedro e Zé, jogam fora do Brasil. Assim, mais "cascudo", o time espera ter tranquilidade para passar pelo Catar, diante da torcida rival, da pressão pelo resultado e do nervosismo típico das estreias. Em um grupo com seis times, quatro avançam para as oitavas de final.
- Sabemos que vai ser um jogo difícil, eles vão jogar em casa, ao lado da torcida e será a estreia. Mas também sabemos de todo o trabalho que fizemos, de como nos preparamos e do objetivo que traçamos para esse Mundial. Sabemos tudo que temos que fazer, estamos preparados, e vamos em busca de uma vitória na estreia - garante o pivô Vinícius.
Do outro lado da quadra a seleção brasileira vai encarar uma equipe até certo ponto desconhecida. O Catar foi campeão asiático pela primeira vez no ano passado e investiu muito para a formação de um elenco que pudesse brigar por algo maior dentro de casa. O técnico é Valero Rivera, campeão com a Espanha em 2013. Em quadra, a grande maioria é de jogadores naturalizados, seduzidos pelos petrodólares. Os principais são o goleiro de Montenegro Goran Stojanovic, o pivô espanhol Borja Hernandez, de 2,04m, e o armador francês Bertrand Roiné.
catar handebol (Foto: Divulgação)Catar foi campeão asiático em 2014, primeiro título de expressão da equipe (Foto: Divulgação)
- Aqui no Catar podemos trabalhar como em um clube, parando apenas para a Copa do Catar. Então, nossa intenção é terminar ao menos em quarto lugar do grupo para chegar às oitavas de final e aí brigar por uma vaga nas quartas de final - disse Valero Rivera em entrevista ao site oficial do Mundial.

Para o técnico do Brasil, Jordi Ribera, seu time e a seleção do Catar têm objetivos parecidos neste Mundial, o que torna o jogo ainda mais complicado.
- Nosso time e o do Catar têm objetivos parecidos no Mundial, que é buscar uma posição melhor dentro do cenário do handebol mundial. E isso então torna o jogo ainda mais complicado para a gente. Trabalhamos bem e estamos preparados para o Mundial - frisou Jordi.
INFO - Guia mundial masculino handebol (Foto: Editoria de Arte)

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Alinhamento metodológico entre os treinadores é meta da comissão técnica Lusa para 2015




Os jogos nem começaram mais os treinadores lusos já estão no trabalho,os membros da comissão técnica do handebol feminino do clube todos estão mantidos para a temporada 2015, porém a ideia do Coordenador Técnico das equipes femininas é Alinhar ainda mais a metodologia de treinamento de todos os técnicos do clube.

Comissão técnica Lusa planejando a nova temporada Lusa
Contando com cinco técnicos nas mais diversas categorias o clube português caminha para consolidar um trabalho de qualidade como um clube completo da Iniciação ao alto nível e por isso é fundamental a unificação metodológica desses profissionais.

Essa é a opinião do coordenador técnico das equipes femininas do clube Português Cristiano Rocha"Estamos muito otimistas com o desenvolvimento do nosso trabalho como comissão técnica, todos os membros da comissão de 2014 continuam e isso é muito bom porque vamos passar de estagio em nosso planejamento, primeiro tínhamos que montar uma comissão multi disciplinar capaz e confiável,isso conseguimos em 2014, Agora é hora de dá mais um passo rumo a excelência", afirmou Rocha.
Esse novo passo é, através das discussões estabelecidas em 2014 e as reuniões de preparação de 2015, definir e esclarecer as estrategias metodológicas para a execução das atividades em todas as categorias do clube, sabemos que essa equipe multidisciplinar foi um dos fatores responsáveis para a grande temporada que tivemos no ano passado e por isso ser mais eficiente em nossas ações é um grande passo para termos mais um grande ano, conclui Cristiano, que também está Técnico da Seleção Brasileira Juvenil feminina e comanda o handebol do Colégio Anglo Líder.

Comissão do Clube Português:

Coordenador/ técnico: Cristiano Rocha
Supervisora/Técnica: Monique Costa
Técnico/ Clebson Melo.
Treinador de Goleiras/Tecnico: Felipe Valerio
Professor de iniciação: Iung Sales
Psicologa: Andrezza Melo
Fisioterapeuta: Eric Ricardo
Preparador Físico: Luis sabino
Nutricionista: Jaqueline Costa

Seleção Masculina de Areia concorre a prêmio da IWGA

 Até o dia 31 de janeiro, os fãs do handebol brasileiro poderão votar para eleger a Seleção Masculina de Handebol de Areia como a Melhor Equipe/Atleta de 2014, em eleição promovida pela Associação Internacional dos World Games (IWGA). A equipe foi eleita o destaque do mês de julho, após ter levantado pela quarta vez a taça de campeã do Mundial da modalidade, realizado em Recife (PE). Agora, os brasileiros concorrem ao prêmio como os melhores do ano, juntamente com atletas de outros esportes - arco e flecha, caiaque polo, dança, escalada, floorball, levantamento de peso, muay thai e raquetebol. 

A votação está disponível no site da IWGA: www.theworldgames.org. A lista compreende os nove atletas/equipes eleitos em 2014.

GALERIA DE TITULOS

  • TETRA CAMPEÃO BRASILEIRO JUVENIL FEMININO 2014
  • BI CAMPEÃO DA LIGA NORDESTE ADULTO FEMININO 2014
  • HEPTA CAMPEÃO COPA NORDESTE JUVENIL 2014
  • TETRA CAMPEÃO BRASILEIRO ESCOLAR 2014
  • PENTA CAMPEÃO BRASILEIRO ADULTO FEMININO 2014
  • CAMPEÃO BRASILEIRO JUVENIL FEMININO 2013
  • VICE CAMPEÃO BRASILEIRO ADULTO FEMININO 2012
  • VICE CAMPEÃO BRASILEIRO CADETE FEMININO 2012
  • CAMPEÃO BRASILEIRO JUVENIL FEMININO 2011
  • TETRA CAMPEÃO BRASILEIRO ADULTO MASCULINO 2011
  • TETRA CAMPEÃO BRASILEIRO ADULTO FEMININO 2010
  • BI CAMPEÃO BRASILEIRO JUNIOR MASCULINO 2011
  • TRI CAMPEÃO BRASILEIRO ADULTO FEMININO 2009
  • VICE CAMPEÃO JUBS 2009
  • CAMPEÃO COPA NE JUVENIL FEMININO 2009
  • CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL FEMININO 2009
  • VICE CAMPEÃO BRASILEIRO JUNIOR MASCULINO 2009
  • CAMPEÃO BRASILEIRO JUNIOR FEMININO 2009
  • CAMPEÃO BRASILEIRO ADULTO MASCULINO 2008
  • BI CAMPEÃO BRASILEIRO ADULTO FEMININO 2008
  • VICE CAMPEÃO BRASILEIRO JUNIOR FEMININO 2008
  • VICE CAMPEÃO BRASILEIRO CADETE FEMININO 2008
  • CAMPEÃO BRASILEIRO ADULTO FEMININO 2007
  • CAMPEÃO BRASILEIRO JUVENIL FEMININO 2007
  • CAMPEÃO BRASILEIRO CADETE 2005
  • VICE CAMPEÃO BRASILEIRO JUVENIL FEMININO 2006
  • CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL FEMININO 2009
  • VICE CAMPEÃO BRASILEIRO JUNIOR MASCULINO 2009
  • CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL FEMININO 2009
  • VICE CAMPEÃO BRASILEIRO JUNIOR MASCULINO 2009